03/04/2013

Podemos escolher...

Andei pensando, escrever talvez seja meu mundo velado do impossível.
Por aqui o bem prevalece, o justo e o correto soam bem, normal.
O que mais poderia querer além de me alimentar dele?
De fechar-me num mundo fantasioso como se nada pudesse impedi-lo de ser perfeito?
Mas não é assim que a estória é contada, não pelo lado da escuridão, nem repelindo ou excluindo o que não se consegue controlar.
A vida até se conta, se replica, só que quem a constrói são ações e pessoas.
Cada um que possa escrever uma outra história completando outra história, circundando outras vidas, sem fim.
Nunca foi fácil, nem agora, nem no tempo, nem nas mais belas estórias já contadas.
O que triunfa não é o mocinho que vence o vilão, tampouco o que observa a vida passar sem percebê-la, vence quem acredita que há dentro de si força, coragem e vontade de mudar, aquele que apesar de perceber as incertezas, acredita que pode e deve haver uma condição melhor e mesmo cansado persiste até o fim.



Está em nossas mãos mudar o que nos incomoda, o que nos parece incerto. Vamos listar e gerir os problemas sem que eles nos consumam e nos façam desistir do melhor, não por alguém ou por uma posição, mas para que daqui um tempo possamos ter orgulho do que construímos, do que nos tornamos.
Afinal, podemos escolher o que queremos ser.






Facebook