01/02/2012

Poema do Adeus


Por que você insiste nessas coisas de ser só,
Enquanto meu amor, meu sentimento puro e sincero se vai?
Por que você não volta, por que você insiste em partir?
Não vê que se chegamos até aqui é por amor?

E o amor, parece que não sabe bem que ele cura, cuida e faz bem.
Será talvez essa mais uma ilusão?
Mais uma entrega errada a um desmerecido qualquer?
Então essa mágoa não deveria continuar em mim...

Te confiei todos os meus planos,
Passei a sonhar coisas que nunca sonhei,
Te fiz o melhor dos meus encantos e desejei amar e sempre amar.
Fechei-me para os problemas do mundo, e eu só queria ter você.

E ao invés de ações me deu promessas,
Me usou para ficar bem e partiu.
E aquele amor que tanto me inspirou, era uma farsa?
Aquele sorriso de prazer era mentira?

Meu coração ardeu, 
E agora meu peito machuca quando respiro.
Talvez porque só você seja capaz de sarar tudo isso.
Se me ama tanto, posso sentir, por que me faz chorar?

Não seja tão egoista...
Você acabou de machucar a pessoa que entregou a você um coração.
E esqueceu de levar o sorriso, o gosto, o cheiro que ficou em mim.
Deixou para trás tudo o que me faz lembrar você.

Odeio quando alguém oferece o mundo e depois o tira.
Mas vai passar tão rápido como todos os outros desamores,
E ficará apenas a certeza que tentei fazer você feliz,
E a tristeza de quem nunca gostaria de dizer adeus.

Brunna Paese

Facebook