21/12/2012

E se eu ganhasse na Mega Sena da Virada...

Não sou de jogar na loteria e não é por pensar que não é possível ganhar, mas pelo orgulho de dizer que fiquei rica pelo meu próprio esforço e que nada me foi dado nesta vida. Honestamente, não sei quando fiquei chata desse jeito.

Outro dia um amigo que não mora no Brasil pediu para que eu fizesse uma "surpresinha" para o jogo da mega da virada, prêmio ofertado pela Caixa Econômica Federal que neste ano pode chegar perto dos 200 milhões ~pausa para o cálculo~.

Esse mesmo amigo, após ouvir que eu não jogo na loteria disse:  - eu jogo e ao menos por alguns dias/semanas fico sonhando como seria se eu fosse milionário.

Eu e essa minha mania de querer experimentar e ficar imaginando as coisas, fui e fiz uma aposta. Números aleatórios, mentira, eles tem uma lógica que nunca deu muito certo, por sinal. Das poucas vezes que joguei nunca fiz mais do que um número na mesma aposta. Vocês acham que eu invento essas coisas de ser pé frio, né? Mas não é não, é verídico!

Agora que tenho o bilhete em mãos fico sonhando em como seria minha vida se eu fosse milionária. Se eu ganhasse na Mega Sena da Virada a primeira coisa que eu faria seria beber até cair. Sim, seus falsos moralistas, a primeira sensação que gostaria de ter é saber como é beber sendo rica, porque sendo pobre já decorei como é.

Depois, sem ressaca, porque rico não tem ressaca tem um leve mal-estar, arrumaria as malas. Tendo em vista que estaria junto com minha mãe e ela começa a fazer as malas vinte dias antes da viagem, teria tempo para me programar.

O destino, meus amigos, seria para o Paraguai, ISSO mesmo. Vou explicar porquê. Sempre fui para a Cidade de Leste com o dinheiro contadinho e meu sonho é ir para esse paraíso das compras com a cara da riqueza. Mas fiquem tranquilos que passarei na aduana (como sempre fiz) e pagarei os impostos. "Olha lá a chata jogando a ética na cara da sociedade"...

Na sequência dessa super viagem chamaria a família e os amigos mais chegados e ofereceria uma "ajudinha", mas não por caridade, na verdade é para eles se ferrarem com a Receita Federal tanto quanto eu.

Já com minha missão social familiar cumprida, colocaria toda a grana num investimento diversificado (para aplicar meu TCC da graduação que nunca consegui ganhar $$ com ele) e partiria para o Rio de Janeiro fazer a Agência de Sustentabilidade decolar. Porque cumpro com o que me comprometo e assim teria tempo para abrir o meu banco de desenvolvimento.

O banco é meu projeto de vida, baseado numa ideia que tive há anos e que depois de um tempo descobri que com uma ideia parecida o Muhammad Yunus ganhou um Nobel da Paz. Ideias soltas que caminham por mentes pelo mundo sem nunca terem se encontrado. O objetivo deste banco é financiar o desenvolvimento sustentável nas comunidades brasileiras, promovendo o uso consciente do dinheiro com educação em finanças pessoais e empresariais.

E por fim, viajaria pelo mundo, conhecendo gente e lugares.


A grande vantagem de sonhar com isto é que tudo seria antecipado, porque são fatos que cedo ou tarde, irão acontecer.



E você como gastaria seu dinheiro?




Facebook