11/10/2012

Talento a gente se vê por aí...

Era rico, bonito, repleto de competências e habilidades, dentre outras muitas coisas era feliz.
Pensava-se, nas rodas de conhecidos, será que roubou? Seus pais eram ricos também? Deve ser chato!
Essas perguntas confortaram, tornaram o ser analisado mais humano, ou seja, com defeitos. O fato é que dificilmente permitimos e aceitamos, sem ofensas, ter alguém tão bom tendo tanto sucesso.

Se é rico, é infeliz. Se vendeu é porque é bonito. Se recebeu uma promoção é porque saiu com o chefe. Se é linda de morrer, é chata ou prepotente.
O que se vê é que há uma tendência natural por humanizar pessoas, a busca por falhas nas ações alheias pode ser uma maneira de preencher a própria falta de capacidade. Afinal, para muitos, o melhor jeito de melhorar de vida é piorar a vida dos outros.

Mas por quê? O que há de errado em ter qualidades? Sinceramente, você acredita que somos todos iguais?
Temos disso, não temos? Comparamos qualidades de produtos, mas pessoas não podem ser melhores que outras pessoas, é arrogância dizer que sim.

Ouve-se: - Não somos melhores, somos diferentes.

Será mesmo?

Tinha um aluno naquela sala que era muito mais inteligente do que os outros, uma funcionária muito mais dedicada que metade daquela empresa. Um atleta que era fenomenal, muito a frente dos demais.
Seria justo dizer que eles eram iguais aos outros?

E se um concorrente faz mais sucesso? Qual postura que se tem? Questionam-se todas as ações, implicam com cada detalhe? Falam mal do serviço ou produto para seus próprios clientes?

Ao deparar-se com alguém melhor do que você, o que faz?

É preferível mil vezes perder entre os fortes do que vencer entre os fracos. Porque os fortes te ensinarão a lutar, enquanto os fracos não darão nenhum valor para a sua vitória.

Agora, se quer um conselho. Enquanto lastima que a grama do vizinho é mais verde, a sua está deixando de crescer, já reparou nisso? Não é apenas avaliar os próprios defeitos, mas sim, potencializar suas qualidades e melhorar onde precisa ser melhorado. Mesmo com isso, não terás o direito de criticar o vizinho só porque você não foi capaz de ser tão bom.

Uma sábia mãe certa vez disse, teste seus limites, seja melhor do que você mesmo, no compensar das coisas não importará os outros, não compare-se com eles, compare-se com você. Porém, aceite o brilho de outras pessoas e isso o tornará mais forte. Contudo, tente apagar o brilho de alguém e você será ofuscado.




Facebook