27/02/2011

Aos que amamos

O que seria das conquistas se não existissem as pessoas que amamos para compartilhá-las?
Se não fossem os conselhos quando precisávamos de um norte para continuar?
Conseguiríamos ir tão longe?
Como seriam nossas festas sem os amigos, sem o companheirismo, sem aquela troca de afinidade?
Se olhássemos para trás e não tivéssemos histórias divertidas para contar.
Teríamos vivido intensamente?
Imagine, ou tente imaginar, os dias sem carinho, sem apoio, sem proteção.
Perceba que algumas vezes eles até foram assim.
Mas será que sem eles seríamos completos?
Coloque em cheque os verdadeiros e sinceros momentos que valeram a pena em sua vida.
De todos eles, em quantos estava só e em quantos estava acompanhado, mesmo que em pensamento?
Trocaríamos algum detalhe desses instantes?
Alguma vez ao se olhar no espelho sentiu orgulho de tudo o que construiu em sua vida?
Já contou emocionado uma vitória?
Caminhou no parque sentido a brisa e a vida acompanhando seus passos?
Isso, amigos, é amar, é reconhecer que a felicidade pode e deve nos acompanhar ao longo de nossa caminhada.
É agradecer através de atos singelos a todos que estiveram e ajudaram a escrever cada pedaço de nossa história.
Aceitar, por fim, que são as pessoas que amamos que tornam nossa vida única e completa!

Facebook