27/12/2010

2010 & 2011...

Queridos,


Não seria justo que eu acabasse o ano sem dividir algumas palavras por aqui, afinal foi através desse blog que muita coisa aconteceu em 2010, como o meu primeiro livro.


2010 foi surpreendente, difícil e compensador.


Primeiro Curitiba, um desafio e tanto para alguém como eu, expansiva, comunicativa. A cidade é encantadora, mas as pessoas são fechadas, dificilmente se faz uma amizade por aqui.
Atrelado a isso, o término do meu namoro de 3 anos e pouco, fora o baile...  Foi cruel!


Neste ano de 2010 conheci o que é solidão, algo que eu ousava pensar o que era. Ser só e estar sozinho são condições que ou te destroem ou te constroem. Escolhi superar isso também, aproveitei os momentos a sós para encontrar a mim. Fui fundo, analisei, repensei, briguei comigo mesma, mas me surpreendi com o quanto consegui evoluir com isso. E passou, hoje sou capaz de passar por mais desses momentos.


Teve também o desafio de fazer o que a vida me convidou a fazer, vender! E fui lá... No inicio tive algumas dificuldades, mas depois comecei a vender bem, e depois parei de vender novamente. Fato esse que me fez tirar algumas conclusões, uma que essa vida é muito volátil, emocionante e agitada. É difícil eu ser a melhor nisso e isso me frustra um pouco. Decidi que esse não é o caminho que quero seguir, mas como sempre não tenho o direito de escolher o tempo com que as coisas acontecem nela.


A melhor parte de 2010 foi a publicação do livro, pode parecer bobagem ou pequenez para alguns, mas para mim teve um significado diferente. Escrever sempre foi algo que me completou, quando eu chorava ou sorria, eu passava as noites a escrever. Escrevi um livro para esquecer um menino, enquanto estudava para o vestibular. Escrevi quando amava ou odiava. E assim a escrita me ajudou a ser grande, a pensar, a evoluir. Devo muito a isso.


Comecei a escrever, acreditem, porque eu e minha prima tínhamos uma disputa boba, coisas de quem pode ser melhor. Certo dia ela escreveu um poema e quis testar como seria, desde então não parei mais.


Apesar disso, nunca tive a pretensão de ser uma escritora, antes disso eu pensei em ser cineasta, jogadora de vôlei, roteirista, enfim. Mas a vida, bom, vocês sabem, ela sempre me coloca em lugares que eu jamais imaginei estar, sinceramente, adoro!


E com isso, a vida tem sido boa, generosa e surpreendente.


Tenho sentido o mundo, as pessoas, minha familia os amigos, de forma intensa.


Obrigada vida, amigos, pessoas, por tudo que ocorreu em 2010, bom ou ruim, isso me fortaleceu, me fez voraz e forte.


Habitualmente, ao final de cada ano, faço uma lista. Aprendi com um grande amigo e carrego comigo desde então. 


Funciona assim, faço uma lista de tudo de bom e de ruim que aconteceu no ano, depois refaço a lista selecionando o que quero ou não levar para o ano seguinte. Normalmente, já tenho isso de cabeça. Em seguida, faço uma lista do que quero conquistar no próximo ano, uma lista de objetivos.
Por último, formulo uma lista de metas, o que preciso realizar no ano seguinte.


Por que fazer essa lista?


Bom, eu nunca lembro onde as escrevi, jamais encontrei o papel depois de escrito, mas lembro de cada item na minha cabeça. Porque escrevendo eu mentalizo o que quero, devo e preciso fazer. É motivador e traz uma postura de ativo, de alguém que determina aonde quer chegar, que planeja antes de agir e, principalmente, que sonha com momentos melhores.


Agora peço licença, pois vou escrever a minha lista para 2011. 


Fiquem com o meu vídeo que em 2011 quero atingir a marca de 10mil visualizações. Segue também um poema, que irei escrever agora.


Enjoy it!


 



Aquela luz


Olho pela janela do meu quarto e vejo uma vida passar por entre as árvores e o céu nublado dessa cidade gélida e vazia.
Vejo, bem ao fundo, uma luz forte que sobressalta as demais.
Parece confuso e complexo algo tão distante e singelo chamar a minha atenção no meio de tantos outros detalhes para observar.
Talvez porque vemos o que sentimos e sentimos o que os nossos olhos não conseguem ver.
Afinal, o que seria da vida sem o mistério e a dúvida, sem o curioso e o secreto, sem a magia do descobrir.
Ao olhar por entre as árvores quero descobrir o que há de mais belo, profundo e sincero que o universo pode me oferecer.
Quero andar sem ter o rumo definido, mas quero ter objetivos, para não me perder.
Desejo continuar ouvindo a boa música, lendo livros inspiradores, assistindo a filmes motivadores.
Aceito sofrer, desde que eu jamais esqueça onde está meu apoio, meu refúgio.
Almejo o além, o avante, o desafiador.
E vou chegar, tão logo ou distante, mas ei de alcançar, os sonhos, os amores, os momentos felizes, os amigos, os desejos, os anseios, as batalhas, a luz.
Aquela intrigante luz que acende o meu instinto e me faz suspirar e pensar no que está por vir.
Que seja forte e que me permita viver. 

Facebook