27/10/2010

ME PRENDER A VOCÊ

O conheci assim meio por obrigação,
Meio sem querer,
Mas ao primeiro toque senti sua constante presença.

Quis abrir minha mente,
Apenas para viver e curtir,
De maneira atemporal,
Sem expectativa ou apego,
Simplesmente para sentir.

Pareci um pouco juvenil,
Talvez inocente,
Sem saber muito o que dizer,
No que pensar,
Como agir.

Tentei esconder aquela emoção,
Uma expressão tímida,
De quem não quer errar.

Com uma troca de sorrisos,
De um desejar incessante,
De uma vontade impulsiva,
De se querer bem.

Daquela intensidade,
Da ausência do medo,
Do excesso do desejo de ter alguém em quem pensar.

De dividir um carinho,
Compartilhar um pedacinho de si,
Do que pode dar certo, ou não.

Dia ou outro eu iria encontrar,
Quem permitisse o pulsar acelerado,
O despertar da pureza de um olhar,
Do afeto,
Da construção de sonhos sem fim.

Deverá existir e talvez exista,
Um pouco de crença no amor,
Por um pequeno momento,
Nem que apenas nesse momento possa ficar,
Uma esperança do que poderá acontecer.

Mas se num repousar, num descuidar,
Perder-se a magia que existe
Poderás partir!

Não sem antes contar,
O segredo do encanto
Que me prendeu a você.

Facebook